TAP Destaca Ameaça de Pirataria no Fórum Regional

No fórum anual do Instituto Internacional de Telecomunicações e Mídia, em Miami, onde os principais líderes empresariais e reguladores de toda a região se reuniram para discutir as últimas tendências e problemas enfrentados pela indústria, o presidente da TAP, Gustavo Pupo-Mayo, destacou a ameaça existencial. que a pirataria online representa para todos os envolvidos na cadeia de valor do conteúdo. 

Falando ao lado de outros membros do painel Ricardo Sheffield, Procurador Geral da Agência Federal do Consumidor (PROFECO) do México; Héctor Huici, Secretário de TIC da Secretaria de Modernização da Argentina; María Dolores Souza, Chefe de Pesquisa do Conselho Nacional de Televisão (CNTV) do Chile; e Ernesto P Orozco, membro da diretoria da Autoridade Nacional de Televisão (ANTV) da Colômbia e vice-presidente da Plataforma de Reguladores do Setor Audiovisual da Ibero-América (PRAI), Pupo-Mayo expôs os desafios regulatórios e legais que esta questão implica.

Segurando uma caixa de IPTV usada para roubar conteúdo linear e VOD dos feeds brasileiros, Pupo-Mayo descreveu como redes criminosas são capazes de monetizar essas chamadas “black boxes’ com um risco muito baixo de enfrentar qualquer tipo de repercussão. Tornando as coisas mais complicadas, de acordo com Pupo-Mayo, é o fato de que em breve esse tipo de dispositivo tangível pode se tornar obsoleto. Com base no tema do painel - o futuro do conteúdo em um mundo pós-convergência - o presidente da associação apontou o smartphone como o próximo veículo para o roubo de conteúdo em massa.

Claramente, diz Pupo-Mayo, um problema desta dimensão não tem uma solução fácil, mas a TAP e os seus aliados continuam a defender o bloqueio de sites como o meio regulador atualmente mais eficaz para limitar os efeitos prejudiciais desta atividade criminosa.

< De volta à lista de notícias